Entrevistas

“Se o doente aderir à terapêutica, o controlo vai ser melhor”
João Gaspar Marques
17 Jul. 2024

Aumento da probabilidade de adesão é o principal objetivo dos profissionais de saúde aquando da terapêutica e João Gaspar Marques, imunoalergologista na ULS de São José, defende que “essa estratégia simplifica a vida do doente” e melhora o controlo da doença. Veja a entrevista.

Feira da Alergia: “Um momento muito inovador que uniu a Imunoalergologia”
Ana Morête
12 Jul. 2024

“O meu profundo agradecimento à minha direção, que confiou em mim, e aos sócios da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC) e aos nossos parceiros por estarem presentes e, finalmente, à população. Podem sempre contar com a SPAIC, com a sua excelência e com a sua vontade de estar próxima para melhorar a abordagem a estas doenças.” Palavras de Ana Morête, presidente da SPAIC, sobre o balanço da Feira da Alergia, que decorreu a 29 e 30 de junho, no Mercado Manuel Firmino, em Aveiro. A especialista destaca que foram “dois dias intensos, em que a Imunoalergologia, enquanto especialidade, saiu muito reforçada”, com foco na consciencialização da população. Veja o balanço, considerado “muito positivo”.

“A utilização desta terapêutica tripla não é uma soma; é um efeito exponencial dos medicamentos”
João Gaspar Marques
28 Jun. 2024

“A terapêutica tripla tem um papel muito importante no tratamento da asma”, reflete João Gaspar Marques, imunoalergologista na ULS de São José, sobre o momento para se avançar com terapêutica tripla nos doentes. Em entrevista, destaca que é “uma mais-valia” nos doentes que não estão adequadamente controlados com terapêutica dupla em dose alta, em doentes muito sintomáticos ou em doentes com uma asma grave ou difícil de controlar”. Veja o vídeo.

“Qualquer desvio a esta abordagem deve ser corrigido através da educação dos médicos envolvidos”
Manuel Branco Ferreira
19 Jun. 2024

Como fazer prevalecer a importância do step-up para terapêutica tripla fixa neste tipo de doentes? Esta foi a questão feita a Manuel Branco Ferreira, imunoalergologista na ULS de Santa Maria, para a qual responde que, para este caso, o indicado é “a educação dos médicos e dos profissionais que seguem estes doentes”. Veja a entrevista.

Emergências alergológicas: a importância de uma abordagem sistematizada para as reconhecer e atuar em conformidade
Raquel Calisto
19 Jun. 2024

Focada em avaliar as principais urgências em Alergologia, Raquel Calisto, da ULS de Matosinhos, integrou o painel da sessão “No interior da urgência: como lidar com os grandes desafios clínicos”, durante o 30.º Congresso Nacional de Medicina Interna. A especialista abordou as principais estratégias para identificar corretamente uma situação crítica e atuar o mais rapidamente possível. “Já vi, durante a minha prática clínica, abordagens erradas perante um doente com anafilaxia por vários motivos. Estamos perante um doente que tem uma reação alérgica grave que lhe pode pôr em risco a vida se não atuarmos rapidamente”. Assista à entrevista.

Inalador multidose vs. unidose: qual o mais indicado para o controlo da asma?
Manuel Branco Ferreira
04 Jun. 2024

“A maior eficácia da associação numa única inalação relaciona-se com a maior adesão a uma terapêutica única do que a várias terapêuticas.” Palavras de Manuel Branco Ferreira, especialista de Imunoalergologia na ULS de Santa Maria, em entrevista sobre a aceitação do inalador pelo doente para o controlo da asma. Veja o vídeo.

Transumanismo e bioética: o lema do 12.º congresso da SPAP
Libério Ribeiro
13 maio 2024

“Pretendemos lançar algumas reflexões sobre a evolução do homem e da sua ação a nível da natureza e as implicações que tem na saúde humana e nas doenças alérgicas em Portugal”. Palavras de Libério Ribeiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia Pediátrica (SPAP), no âmbito do 12.º Congresso, que decorre já de 23 a 25 de maio, no Hotel Meliá Ria, em Aveiro. Em entrevista, o especialista destaca os principais highlights do programa científico e social, que prometem trazer as mais recentes novidades da área.

Qual a consequência de não se tratar a asma?
João Gaspar Marques
10 maio 2024

“Quando temos um doente que percebemos que não está adequadamente controlado com uma terapêutica dupla, é um doente que, de alguma maneira, deve ser candidato a uma terapêutica tripla para ter a sua asma bem controlada e impedir o risco futuro.” Palavras de João Gaspar Marques, imunoalergologista na ULS de São José, destacando que a perda de função pulmonar é um risco futuro relevante. Veja a entrevista.

Relação entre médico e doente na otimização do tratamento da asma
Ana Morête
08 maio 2024

A propósito dos mais recentes resultados do estudo EPI-ASTHMA, Ana Morête, presidente da Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), refere que, tendo em conta aquela que é a própria experiência clínica, “a maioria das pessoas com asma recusa-se a caber em caixas organizadas ou a comportar-se da maneira lógica ou racional esperada, pelo que a abordagem comportamental e a comunicação médico-doente são fundamentais no sucesso de qualquer intervenção na área de saúde”. Leia a entrevista.

Qual a terapêutica para impedir a progressão para asma grave?
Manuel Branco Ferreira
22 Abr. 2024

Manuel Branco Ferreira, imunoalergologista na ULS de Santa Maria, reflete que “a abordagem inicial com terapêutica tripla não está indicada na maioria dos casos”, no entanto, “em doentes com sobreposição de asma com bronquite crónica pode estar indicado”. Veja a entrevista.

Apoio

Medinfar